Artigo

Pedro Goyn

Diretor geral da Zebra Technologies no Brasil
O uso dos cartões como sistema de fidelização em lojas e redes de varejo vem se tornando cada vez mais comum.
Data: 03/07/2012
 

O uso dos cartões como sistema de fidelização em lojas e redes de varejo vem se tornando cada vez mais comum. Em paralelo temos outro tipo de crescimento, o uso dos cartões de débito e crédito. Para você entender um pouco mais sobre esse aumento em relação à utilização de cartões sugiro que você faça um teste: abra sua carteira e conte quantos cartões constam. Provavelmente, você observará mais de dois cartões, independen-temente de sua origem; banco ou loja. Esse aumento pode ser resumido em apenas três palavras: tecno-logia, praticidade e segurança.

O que acontece é que os consumidores estão aderindo cada vez mais o uso dos cartões, pois se sentem mais seguros ao fazer transações. Essa estatística é comprovada pela pesquisa divulgada pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões e Serviços. Segundo o estudo, o mercado de cartões cresceu 24% em 2011. O número total de plástico em circulação chegou a 687 milhões de unidades, um avanço anual de 9%.

Mas o uso de cartões não é somente sinônimo de praticidade e tecnologia. Quando fala-mos de transações, principalmente as bancárias, o assunto primordial é a segurança e os cartões com chip são um bom exemplo disso. Para um único cartão é preciso cruzar as informações contidas no chip com a da impressão no cartão.  Esse procedimento só é possível por meio da tecnologia utilizada pelas impressoras de cartão que, ao mesmo tempo, gravam os dados criptografados no material e imprimem as imagens. O processo pode ser feito por dois tipos de impressão, transferência direta ou retransferência térmica. O resultado é único e assemelha-se a de uma fotografia com reso-lução nítida, facilitando assim a identificação segura do usuário.

Em termos de tecnologia em impres-são de cartões, o Brasil passará por uma nova fase. Para os próximos anos a demanda tende a crescer, com a emissão do RIC (Registro de Identificação Civil), substituto do RG (Registro Geral). Isso significa que o registro dos brasileiros se tornará mais eficiente. Antes impresso em papel, num futuro muito próximo, o RIC terá todas as nossas informações pessoais codificadas no chip e associadas nos dados impressos no cartão, aliando tecnologia, praticidade, segurança e durabilidade.

CLSW 105 - bl. A - salas 104 a 106 / Sudoeste - Brasília-DF - 70670-431 - (61) 3234.6282